Apresentação

Quem nunca pensou em descobrir algo inovador ou inventar algo que vire moda?
Eu também já tive este sentimento, mas se como criar não é fácil e é necessário muita mais que paciência ou talvez muita mais que boa sorte, enquanto eu tentava descobrir a "grande invenção", aprendi que muitas coisas não precisam ser reinventadas, basta que sejam apenas colocadas em prática.
Gostaria muito de fazer uma bela apresentação para meus quadros. Pensei, pensei e não consegui pensar em nada. Então escutando uma belíssima canção do Legião Urbana de nome Acrilic on Canvas, que fala um pouco de amor, um pouco de tragédia, mas os descrevem com muita arte, pois Renato Russo tinha a arte de escrever, criar e cantar e ele descreveu a arte de pintar em tela nesta música, pensei que fosse a música justa, porque é uma mistura de sentimentos que deu um resultado de uma obra, mas sentia ainda um vazio e uma preocupação de como eu poderia louvar a Deus desde a aprensentação do meu trabalho?
Louvar a Deus é reconhecer que Ele é grande e que sua obra é a maior de todas as ARTES que somos nós e o mundo que Ele nos deu para cuidar.
Fiquei muitos dias pensando nisso e viajando pela Internet, e como um presente veio a música de Toquinho: Aquarela, que é muito mais verdadeira, mais inocente e real, enfim; muito mais haver com o meu trabalho.
Através desta música podemos observar o nosso mundo de forma mais colorida como uma criança.
Agora basta de "abrobrinhas" e ... conclua você.

Aquarela
Composiçáo: Toquinho / Vinícius de Moraes / G. Morra / M. Fabrizio

Ouvir



Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo...

Corro o lápis em torno
Da mão e me dou uma luva
E se faço chover
Com dois riscos
Tenho um guarda-chuva...

Se um pinguinho de tinta
Cai num pedacinho
Azul do papel
Num instante imagino
Uma linda gaivota
A voar no céu...

Vai voando
Contornando a imensa
Curva Norte e Sul
Vou com ela
Viajando Havaí
Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela
Branco navegando
É tanto céu e mar
Num beijo azul...

Entre as nuvens
Vem surgindo um lindo
Avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo
Com suas luzes a piscar...

Basta imaginar e ele está
Partindo, sereno e lindo
Se a gente quiser
Ele vai pousar...


Numa folha qualquer
Eu desenho um navio
De partida
Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida...

De uma América a outra
Eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso
E num círculo eu faço o mundo...

Um menino caminha
E caminhando chega no muro
E ali logo em frente
A esperar pela gente
O futuro está...

E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença
Muda a nossa vida
E depois convida
A rir ou chorar...

Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos
Numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá...

Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
(Que descolorirá!)
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo
(Que descolorirá!)
Giro um simples compasso
Num círculo eu faço
O mundo
(Que descolorirá!)...









"O que impede de andar pra frente, é a direção que escolheu" - Rodox